Depressão Infantil

Estresse e depressão infantil: o que você precisa saber para proteger sua criança

Postado em: 26 de outubro de 2019

A forma como doenças emocionais afetam adultos é um tópico que está se tornando cada vez mais comum em nossa sociedade. Existem campanhas incentivadas por diversos órgãos governamentais, como o Setembro Amarelo, que levam informação sobre a problemática para a população, mas pouco se fala sobre o estresse e depressão infantil. 

Assim como os adultos, crianças e adolescentes também podem ser afetados pela depressão e o acúmulo de estresse do cotidiano. 

Depressão e estresse também pode afetar crianças

A médica pediatra Flavia Oliveira, da clínica Medprimus, conta que o estresse excessivo pode aparecer principalmente em crianças que possuem muitos compromissos e que se sentem sobrecarregadas por conta disso. Os pequenos que são altamente cobrados por desempenho escolar, além daquelas que sofreram algum tipo de violência durante a vida, também podem entrar nesse grupo de risco. 

Segundo Flavia, uma criança que sofre de estresse e depressão pode acabar desenvolvendo doenças na fase adulta de sua vida. “A criança estressada apresenta menor desenvolvimento cognitivo, dificuldade de aprendizado, distúrbios do sono e de comportamento. Futuramente, podem ser adultos com hipertensão, obesidade, depressão e doenças cardíacas”, conta.

O que pode causar a depressão infantil?

Os fatores sociais são grandes influenciadores para o desenvolvimento da depressão infantil, mas também pode existir fatores hereditários envolvidos. Isso significa que crianças que possuem pais e parentes próximos com a doença são mais propensos a desenvolver um quadro.

As principais causas podem estar em episódios como traumas, abusos, problemas no ambiente familiar ou escolas, bullying e o estresse cotidiano. Ambientes de conflito constante também pode estimular negativamente a criança.

Para Adriana Fóz, neuropsicóloga e Diretora Clínica da Unidade Integrativa Santa Mônica “é importante estar atento ao sofrimento de uma criança, sem criar rótulos ou exageros e tomar as medidas cabíveis sempre com muito afeto e responsabilidade. Além do que cada caso é um caso”.

Quais são os sintomas da depressão infantil?

Isso irá depender da idade de cada criança, mas existem alguns sintomas generalistas que podem ajudar a identificar previamente um possível quadro depressivo infantil. Vale lembrar que essa lista jamais substituirá um diagnóstico profissional.

  • Para crianças com a expressão oral pouco desenvolvida, pode acontecer cólicas, falta de apetite apetite, choro “fraco”, queda no peso, insônia e atraso no desenvolvimento físico e cognitivo.
  • Timidez excessiva, reclusão, medo de ficar sozinho, grande dependência da presença dos pais, incontinência urinária ao dormir, mesmo após a fase de fraldas.

O que fazer se eu pensar que meu filho está depressivo?

O primeiro passo para uma solução é a conversa do responsável com o profissional de pediatria que acompanha o desenvolvimento da criança. Assim, exames podem ser encaminhados ou o auxílio de outra área da medicina pode ser indicado para a investigação e tratamento do quadro emocional da criança.